17/08/2023

Glossário Antifraude: 28 termos que você precisa saber

O mercado antifraude utiliza uma linguagem própria que pode parecer complexa para iniciantes. Pensando nisso, reunimos alguns termos neste glossário.

Indira Bovolenta Indira Bovolenta
glossário-antifraude

Se você está entrando no universo antifraude agora e já se perguntou o significado de palavras como “chargeback” ou “score”, este glossário é para você. Afinal, cada setor tem sua própria terminologia, e com o ramo antifraude não é diferente. 

Continue a leitura e fique por dentro de 28 termos que compõem essa linguagem! 

Glossário Antifraude 

  1. Adquirente  

O papel da adquirente é liquidar as transações financeiras realizadas por meio do cartão de crédito e débito. Quando a compra é aprovada, o adquirente é responsável por receber o dinheiro do banco e repassá-lo ao lojista. Como o adquirente promove uma ligação entre o e-commerce e o banco sem intermediários, é importante que o lojista busque um antifraudepara se proteger.  

Exemplos de adquirentes: Cielo, Rede, Stone.  

  1. Subadquirente  

A subadquirente faz a intermediação dos pagamentos entre todas as partes envolvidas, fazendo conexão com a adquirente e com o antifraude.  

Exemplos de subadquirentes: Pagar.me, PagSeguro, Mercado Pago.  

  1. Antifraude  

Antifraude é uma tecnologia desenvolvida para verificar a autenticidade das transações realizadas. Seu principal objetivo é identificar possíveis fraudes e proporcionar maior segurança nas operações. 

Essa tecnologia utiliza diversas ferramentas para analisar os dados de cada compra ou ação, podendo ser executada de forma automatizada ou manual. 

  1. Antifraude: análise automática (score) 

A análise automática consiste na validação das informações da compra. São algoritmos de machine learning que realizam, em menos de um segundo, a análise de cada transação e emitem uma recomendação: aprovar, negar ou revisar.  

  1. Antifraude: análise manual (mesa)  

​A análise manual é uma etapa complementar à automática, em que uma pessoa especializada procura validar informações do comprador. Essa etapa é acionada para resolver situações que geraram suspeita de fraude.  

  1. API  

API é um termo técnico usado em desenvolvimento de software que significa Application Programming Interface, ou, em português, Interface de Programação de Aplicações.  

É um pedaço de código que ajuda duas aplicações (plataformas, servidores, dispositivos, etc.) a interagirem entre si.  

  1. Bancos emissores  

São os responsáveis por emitir os cartões de débito e crédito, além de conceder limites que podem ser gastos aos clientes. O banco faz a autorização de uma compra, reservando o valor na conta do consumidor e capturando a transação. Quando aprovada, também é papel da instituição financeira fazer a liquidação do valor total junto ao adquirente.  

Exemplos de bancos emissores: Itaú, Bradesco, Santander, entre outros.  

  1. Bandeira  

As bandeiras são órgãos reguladores que determinam regras do mercado de cartão de crédito, como quantidades de parcelas em que um pagamento pode ser dividido e os estabelecimentos em que cada bandeira é aceita, nacional e internacionalmente.  

Exemplos de bandeiras: Visa, Mastercard, Elo.  

  1. BP (Basis Point) 

BP – Basis Point, no mercado antifraude, é uma medida de mensuração de fraude, que estabelece a relação entre o faturamento e o número de fraudes no produto. Sendo assim, mede a qualidade e a assertividade das áreas de prevenção à fraude. É o nosso “termômetro” para medir a qualidade dos serviços prestados e um dos FCS (Fator Crítico de Sucesso) da empresa como um todo.  

Para obtermos o BP, consideramos Total de fraude / por aprovação x 10.000, ou seja, a cada 10.000 aprovações, passa “x” fraudes. Quanto menor o BP, melhor. 

  1. Bureau (birô)  

Bureau (pronuncia-se “birô“) é um termo de origem francesa cujo significado quer dizer “escritório”, “repartição” e/ou “agência”.  

São sistemas de banco de dados que fornecem informações detalhadas sobre os clientes. É possível realizar a busca a partir do nome, CPF, telefone e várias outras informações.  

O bureau retorna a busca com uma série de dados vinculados ao que foi buscado (nome completo da pessoa, data de nascimento, números de telefone atuais e antigos, endereços atuais e antigos, parentes e pessoas relacionadas).  

  1. Chargeback  

Chargeback é a contestação de uma compra pelo titular do cartão. Nesse caso, o valor precisa ser devolvido a ele, gerando prejuízo financeiro para a empresa — especialmente o e-commerce.   

  1. Comportamento de navegação do usuário  

No combate à fraude, o comportamento de navegação é verificado tanto nas análises automáticas, utilizando a tecnologia do machinelearning para avaliar mais de 4 mil dados de um único pedido, como nas análises manuais, complementares à inteligência artificial.  

Ao conhecer o comportamento dos seus clientes, você tem acesso a informações privilegiadas sobre seus gostos e preferências de produtos, mas não apenas isso. Com essas informações, também é possível identificar padrões de comportamento que indicam quem não quer comprar com você, mas apenas tirar proveito em transações fraudulentas.  

  1.  Contestação  

Contestação é o processo de análise realizado quando o cliente envia uma reclamação para o banco acerca de um produto (ou seja, quando já ocorreu uma fraude).  

  1.  CRO - Conversion Rate Optimization 

CRO é uma sigla em inglês que significa Conversion Rate Optimization ou, em português, Otimização de Conversão. Trata-se de uma estratégia que visa aprimorar um site ou qualquer tipo de página de conversão, como uma landing page por exemplo, para impactar positivamente sua taxa de conversão.  

  1.  DNI (Documento Nacional de Identidade) 

O Documento Nacional de Identidade – (DNI) é uma identificação digital que reúne os principais dados do cliente: números do CPF, da Certidão de Nascimento e Título de Eleitor. 

  1.  Documentoscopia 

Documentoscopia é uma ciência forense que diz respeito ao estudo e análise de documentos com o intuito de constatar sua autenticidade ou falsidade. 

“Documento” é qualquer registro de um conhecimento ou de um fato.  

  1.  Engenharia social 

Engenharia social é uma técnica de manipulação de pessoas usada para roubar dados sensíveis e confidenciais. 

  1.  Fraude 

Na sua essência, fraude é todo ato deliberado de má fé feito com o objetivo de gerar prejuízo a outra pessoa.  

  1.  Fraude maturada 

Fraude maturada é quando um cliente (consumidor final) contesta uma transação e é identificado, oficialmente, que foi uma fraude. 

  1.  Gateway de pagamento  

O papel do gateway é processar as informações no momento em que a compra é finalizada no checkout. Quando os dados da transação são transmitidos, o gateway se comunica com a adquirente,que contata o banco emissor. Quem processa o pagamento é a própria adquirente. O gateway  funciona como um terminal, em que o lojista pode, em um único lugar, integrar a adquirente, antifraudee conciliadores.  

Exemplos: Iugu, PayPay, PayZen.  

  1.  Grafoscopia  

Grafoscopia é a ciência que estuda os grafismos, ou seja, a escrita como marca pessoal. Dessa forma, é possível fazer o reconhecimento de uma determinada grafia por meio da comparação detalhada da letra.  

  1.  Inteligência artificial (IA)  

Inteligência artificial, ou simplesmente IA, diz respeito à capacidade que as máquinas têm de tomarem decisões sem interferência humana direta.  

Isso significa que, de acordo com a própria base de dados e a combinação interna de elementos, a inteligência artificial analisa situações e toma decisões baseadas na projeção de melhor desempenho possível.  

  1.  Machine Learning  

Machine learning em português significa “aprendizado de máquina”. Essa área da ciência da computação consiste em elaborar sistemas capazes de analisar e aprender rapidamente aquilo que os humanos demorariam muito tempo.  

No antifraude, inteligência artificial e machine learning andam juntos para identificar comportamentos padrões de uma compra fraudulenta na loja virtual e avisar ao negócio antes que ela seja finalizada.  

  1.  OCR  

OCR é uma sigla para o inglês Optical Character Recognition, ou Reconhecimento Ótico de Caracteres. É uma tecnologia para reconhecer caracteres a partir de um arquivo de imagem ou mapa de bits, sejam eles escaneados, escritos à mão, datilografados ou impressos.  

  1.  Portabilidade de Contrato  

Portabilidade de contrato é a compra de um contrato de consignado de um banco pelo outro.  

Por exemplo: o Cliente José possui um contrato de consignado junto com um banco A. Um banco B entra em contato, faz uma oferta de compra e o cliente aceita. A migração desse contrato acontece para o banco B, com isso o empréstimo é “portado” de um banco para o outro.  

Geralmente acontece por melhores condições comerciais.  

  1.  Prevenção 

Prevenção é o processo de análise realizado quando o banco percebe uma irregularidade ou situação suspeita antes de ocorrer uma fraude.  

  1.  Phishing 

Phishing é um tipo de fraude cibernética que imita sites, e-mails e outros canais confiáveis para obter informações confidenciais, como nome de usuário, senha e detalhes do cartão de crédito. 

  1.  Score 

O score é uma pontuação que indica, com base em dezenas de critérios e variáveis, se um consumidor é ou não um fraudador, se ele deve ou não ter acesso ao crédito.  

  1.  SDK 

SDK é a sigla para Software Development Kit, ou Kit de Desenvolvimento de Software. São ferramentas fornecidas pelo fabricante de uma plataforma de hardware, sistema operacional ou linguagem de programação. Com os SDKs, os desenvolvedores de software criam aplicações para essa plataforma, sistema ou linguagem de programação específica.  

No ramo antifraude, são grandes aliados no desenvolvimento de dispositivos de validação e autenticação de identidades. 

  1.  SLA  

A sigla vem do inglês “Service Level Agreement”, ou seja, “Acordo de Nível de Serviço”.  Trata-se do acordo sobre os tempos de reação e de resolução (resposta) que a empresa oferece aos clientes.  

  1.  Tipificador  

São ferramentas utilizadas para avaliar e segmentar os tipos de documento recebidos de uma proposta/transação. Com isso, é possível identificar de forma automática quais as informações recebidas, como por exemplo RG, DNI, CNH,entre outros tipos de documentos que são mapeados pelas ferramentas de tipificação.  

E aí, o que achou desse conteúdo? Se você gostou, não deixe de conferir nossos outros posts e acompanhar o blog Who para ficar por dentro de mais assuntos do mercado antifraude!